quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Silêncios...

No jornal a pintura
Do bem contra o mal...

No silêncio é possível ouvir, quase ver
As infinitas histórias não impressas
Latejando entre a dor e a esperança

É uma cidade que muda, mas para quem?

Rodrigueana cidade!
Gemidos de prazer, fúria, vingança e ódio!

Bem e mal fazem amor nas tuas sombras maravilhosas

E dão-se as mãos, beijam-se, entre blindados, pipas e AR-15's

Sorrisos fascistas veem tudo na tela da TV
Nos teclados, dedos agéis derramam napalm sobre a terra de Noel e Cartola

Ninguém faz mais jura de amor no Juramento...

Um comentário:

Patrick disse...

Muito legal doutor. Realmente não faltou Napalm na internet.