domingo, 15 de junho de 2008

Renascimento


É só ver, só sentir

É só ser, pra sorrir
Só tecer, não temer

Sermos um...

6 comentários:

Anônimo disse...

Fala, Jorginho!

Jorge, que poemas lindos! São haikais, não são?

Eu gostei muito do tema que você escolheu para eles e da maneira como você o tratou. Gostei muito mesmo!

Estou sentindo em você uma maior sintonia com o pensamento oriental. Isso não é apenas pelo fato de você ter escolhido o haikai como o formato dessas poesias, mas dá para perceber isso através do sentimento que você colocou nelas.

Só uma coisa, por curiosidade, você compôs esses haikais recentemente?

Abração!

Anônimo disse...

Jorge, estou lendo de novo aqui seus haikais. Estão realmente bons, cara!

Jorginho disse...

Fala rapaz.

Poxa, eu os escrevi na hora mesmo.

Foi um desabafo.

São quase haikas. Não estão no formato tradicional, mas a idéia é a mesma: sintetizar um instante, na essência...

Anônimo disse...

Uhum, sei que são do tipo haikais, mas que não seguiram o número de sílabas, etc. Mas poxa, estão muito bons, e mantém a alma dos haikais.

vanevski disse...

O que são haikais?? Nunca ouvi falar disso hahaah posso procurar no google, mas prefiro ouvir de vcs.

Pow, gostei muito destas três minipoesias (haikais? hahaha).

Não sei porque gostei do
"E eu só, eu só
Eu só eu"

Lembra alguma idéia de recorrência.... não sei porque a repetição da frase faz parecer ainda mais sozinho.

Bjo!!

Jorginho disse...

Vanessa, o haikai é um poema típico japonês.

Tem, tradicionalmente, 17 sílabas, distribuídas em 3 versos; 5 na primeira, 7 na segunda e mais 5 na terceira.

Essa forma não é fixa, desde que o haikai mantenha sua essência.

Geralmente eles expressam a essência de um sentimento, de uma paisagem, de um acontecimento. São muito comuns as descrições da natureza.

O poeta brasileiro Paulo Leminski fez muitos.

bjs,